sonhos, expectativas e realidade.

Eu acho que sonhar é algo inerente à vida humana, mas sou cética. Não acho que quem acredita sempre alcança, como fala a música do Legião Urbana, acho que precisamos estar sempre conectados com a realidade para conseguir traçar planos objetivos que nos façam atingir nossos sonhos, porque, em caso contrário, a fantasia nos consome. Acabamos por não viver o hoje porque estamos sempre presos no amanhã e nos conceitos que criamos sobre como gostaríamos que fosse nossa vida, nos afastando, obviamente, da vida real em si.

Conheço uma mulher que almeja coisas que não possui na esperança de ter outras que a supram. Ela não consegue enxergar, na realidade dela as coisas reais de fato e se aprisionou na ideia de que é uma dona de casa infeliz, sem diversão, escrava de um casamento que não correspondeu aos seus sonhos da juventude. Essa mulher ainda se vê com 25 anos, buscando todos esses sonhos e ainda não conseguiu perceber que o tempo passou,que  ela fez algumas escolhas erradas aqui e ali e que a vida não é mole assim, como a gente pensa. Pra ninguém.

Não é que ela seja vítima do mundo, infeliz e mal sucedida, com ela a coisa fluiu como fluiu pra todo mundo, mas ela estava tão preocupada em ser quem não era e parecer mil coisas para os outros que esqueceu-se de que, para concretizar as coisas, é preciso escolher um caminho e persistir ele e não esperar que tudo se resolva como na novela das 21h00. Hoje essa mulher não se posiciona e não enxerga suas próprias conquistas, amadureceu fisicamente, mas não emocionalmente. Tem crises de ciúme adolescente, surtos emocionais de carência e toma atitudes estúpidas, que afastam as pessoas, numa busca desenfreada de atenção. Ela não é má pessoa, apenas sofre com uma construção de vida da qual não consegue se libertar e nem enxergar a realidade como ela é.

Infelizmente, e eu sei que demoramos a aceitar esse fato,  não podemos ter tudo sempre. Sonhos que não são práticos beiram à loucura e não nos direcionam a lugar algum. A gente precisa construir nossas aspirações a partir do solo que a gente tem e não querer voltar no tempo, ou desejar a vida do outro, ou uma realidade completamente distante da nossa. Eu acho que nunca é tarde para mudarmos de rumo, darmos a volta e fazermos outro caminho, mas esse conceito de que a vida é unicamente uma construção nossa precisa ser quebrado.

Existe sorte sim, acaso sim, e gente que cavou oportunidades de um jeito inesperado, nem tudo é só aquilo que desejamos, buscamos desenvolver e evoluir linearmente. Filho não segura casamento, ensino superior não garante emprego, bom emprego não garante felicidade e ter dinheiro ajuda, mas não é tudo. Precisamos saber lidar com os nossos fracassos, buscar um recomeço e, acima de tudo, sermos palpáveis e gentis com os nossos sonhos.

Pior que gente não realizada é gente que segue a filosofia Xuxa de que “tudo pode ser, basta acreditar.” Tudo pode ser. Basta planejar muito, trabalhar duro e sofrer bastante. Faz parte.

Continue Reading

blasé.

A tecnologia acabou com as desculpas esfarrapadas. Se você recebe uma mensagem e não quer responder, desconecte-se do seu Facebook. Não adianta dizer que estava em reunião se seu último check in foi na padaria da esquina. Sem enganações, sem palhaçada:  sabemos que nem sempre somos exclusivas ou únicas, mas adoramos nos enganar. Ou melhor, adoramos tentar conquistar o posto de principais com jeitinho, sem neurose. Não dificultem as coisas.

Ser mulher e estar apaixonada por um cara é andar na corda bamba, mas simular ser blasé. É viver a mercê do sujeito e fingir que não se importa com isso. É saber sobre a rotina do outro e dar uma de desentendida. É não ligar mesmo quando deseja, precisa e deveria. Afinal, que homem gosta de ter ao seu lado uma verdadeira controladora? Temos ao menos que fingir que não estamos nem aí: nada pior para o ego masculino que o descaso.

Os jogos de conquista são um saco, mas se fazem necessários: ninguém gosta de ser tachada de desesperada à procura, não é mesmo? Ainda que seja a mais pura verdade…

Homens, entendam: mulher precisa ter hora, lugar e prazo. Se você está verdadeiramente interessado, planeje-se. Não deixe o dito pelo não dito, não faça com que a nossa espera se torne uma agonia – só a mulher sabe o verdadeiro significado da palavra ansiedade. Nada deixa o sexo feminino mais desorientado que a incerteza. É melhor ter uma amante e  falar na nossa cara, é melhor avisar que vai se atrasar por casa do futebol. Não diga que já saiu de casa ou que chega em 5 minutos se for demorar 2hs, isso é fatal para o nosso equilíbrio e crucial para nossa estabilidade.

Os primeiros momentos de um relacionamento são aqueles que definem seu desenvolvimento. Precisamos de tempo para pensar no melhor a ser dito, na roupa mais adequada, na postura, no sorriso e, obviamente, não parecer agoniadas por impressionar. Mulheres experientes são excelente atrizes: tudo é sutilmente planejado para parecer espontâneo.

Sabemos que não somos incríveis, mas não dá pra exibir todos os nossos defeitos de prima (pode ser que vocês se assustem). Não acabem com a nossa paz com essa postura desencanada, de bem com a vida e tão natural que lhes é peculiar. Não deixem para em cima da hora para planejar as coias.

Se esforcem, por favor. Prioridade, por favor.

E recebam de brinde o nosso melhor.

Continue Reading

Amiga e nada mais.

Sempre tive muitos amigos homens, muitos mesmo, apesar de conservar boas amizades femininas.

Ao contrário do que você deve estar pensando nesse momento, ser amiga dos meninos nunca facilitou meu lado amoroso, a não ser pelo fato de compreender o que se passa na cabeça deles (que é muito simples, por sinal) de forma mais fácil. Sou muito brincalhona, não faço, nem de perto, o estilo “femme fatale” e ando com tanta mulher bonita que não sou destacável em meio a multidão. Quando questionados quanto a minha beleza os homens ao redor geralmente respondem com a célebre frase: “ah, sei lá, é a Ericka, ela é normal.”

E apesar de ser a Ericka e ser normal nunca me faltaram namorados, rolos, casinhos e histórias pra contar aqui no Hiper, porque nunca me senti invisível.

O que acontece com 99,9% das mulheres, até com as deslumbrantes, acredite, é a “síndrome do fantasma”. Elas sempre acham que o cara que elas estão afim nunca vai olhar pra elas, sempre acham que nunca são observadas, sempre acham que sobra uma gordurinha aqui, que falta uma carninha ali, que o cabelo não está bom e que a unha está mal feita. Como eu já disse nas linhas acima, mulherada, os homens são simples. Não reparam se você fez californianas ou se pintou as unhas de branco ou vermelho. Se reparam, esse, definitivamente, não é fator decisivo para que uma amizade vire um romance ou sei lá o que. Aliás, se eu tivesse uma fórmula pronta para converter bons amigos em namorados eu divulgaria, mas apesar disso acontecer com frequência na minha vida, não sei explicar como esse processo se dá, acho que meus relacionamentos acabam por… Fluir.

No amor, no jogo e na vida sempre busco arriscar, sem pensar muito. Eu geralmente SÓ penso depois, quando já estou vivendo um romance completamente alucinado e non sense e daí… Continuo vivendo. Vocês não iriam acreditar na metade das histórias que eu fui capaz de me enfiar.

A vida tem que ter sabor, tem que valer a pena, tem que ter GRAÇA. Se você não é capaz de rir dos seus próprios fracassos, não é capaz, também, de aprender com eles.

Meus últimos 3 namorados eram meus amigos e ainda são. Namoro não estraga amizade quando bem vivido, não existe essa coisa de ser tão amiga à ponto de se tornar desinteressante, não existe também essa máxima de que toda a amizade entre homem e mulher tem segundas intenções. Há homens que são só amigos e que nunca vão deixar de ser. Mas sabe, quando bater um sentimento, se jogue. SEJA interessante quando lhe convir, saiba usar a intimidade, o bom humor e a principal coisa que um relacionamento exige: uma boa e longa conversa.

Quando a gente acredita, alcança o mundo. Não que eu mesma tenha chegado lá, mas é sempre bom dar uma forcinha pra quem está se sentindo pequena demais para conquistar aquilo que deseja.

Né?

 

Continue Reading