tá tudo igual, tá tudo chato – mas lidemos com isso.

Vocês reclamam demais, tálocko.

A nova moda agora é falar mal da blogosfera enquanto negócio, como se toda a motivação do universo para se receber cultura fosse exclusivamente blog. Como se SÓ ESSES ESPAÇOS determinassem todo o consumo da galáxia, ou a preferência por gordas, magras, selfies, saia midi, plissada ou a puta que o pariu. Vocês não cansam de falar no quanto as coisas estão cansativas, e massantes, e repetitivas e de como em to-do-o-blog-gran-de se lê a mesmaZZzzzZzZzZzZZZzz coisa. Que o conteúdo é o mesmo, que não existe novidade e que MEU DEUS QUE COISA FEIA GANHAR DINHEIRO FALANDO DO QUE NÃO GOSTA, QUE MUNDO É ESSE, NÃO É MESMO? :O

O mundo de sempre, negada. Do capitalismo, dos padrões, das coisas que vem, vão, se diluem, se dissolvem, ressurgem e se repetem. Igual, mesmíssima merda. Só que em outra plataforma.

A internet só torna as coisas mais próximas, rápidas, só aguça nossa percepção em relação a um processo que sempre existiu.

Vou tentar ser objetiva e assertiva nas minhas colocações sobre o tema, que não valem de nada, que isso fique bem claro, e que são APENAS minha opinião, ok? Estamos conversados.

Seguem as observações:

1. Parem de over and over again postar o mesmo tipo de argumentação sobre esse tema (ou qualquer outro). Vocês não são tão letradas, pensantes, articuladas e desenvolvidas a ponto de estruturar novos argumentos? Pois exponham todos eles. Que seja o trabalho escravo que domina as fast fashions, o recalque porque tem nega ganhando dinheiro fácil por aí, ou o fato de vocês terem um traballho massante e repetitivo e as blogueiras ricas e maravilhosas não, whatever, mais justo. A punhetação contra alguma coisa é tão chata quanto a coisa em si. A-PE-NAS-PA-REM.

2. Se esse tipo de blog existe é porque ele vende. Sinples assim. Porque nossa sociedade é consumista, narcisista e gosta de se ver espelhada em um outro completamente mecânico e artificial, gosta de almejar a tal coisa cara, a viagem, a vida do outro, gosta de se ver na novela, no filme, no livro, no Insta, no Snap e no blog. WHY NOT?

3. Os blogs, depois de muita batalha, passaram a ser vistos como um local FIDEDIGNO para publicidade, um local profissional, possível de ser contratado por grandes marcas. ACHO DA-O-RA DEMAIS ISSO, de verdade. É gente falando pra gente. Seja uma falsa opinião ou não, é um modo mais humanizado de se fazer propaganda, mais passível de discussão e escolhas. Assim como você não vai  consumir tudo que uma revista publica, não vai consumir tudo que um blog posta porque isso simplesmente É IMPOSSÍVEL (e bastante burro da sua parte também, desculpa.)

4. Tá puto com o que consome na internet? Escreva coisas das quais gosta de ler sem se preocupar se as demais pessoas concordam, gostam, estão lendo ou fazendo o mesmo que você. Sem se preocupar com a indústria, com a venda, com o reconhecimento. Faça o que te faz feliz e o que você quer, POR VOCÊ. É o clássico: seja a mudança que você quer ver no mundo. Sabe por que? Porque quando não fazemos nada somos consumidos pelos que fazem. E o sucesso do outro passa a incomodar…E você a reclamar… E tudo se multiplica desenfreadamente como em uma fórmula mágica de sucesso…E todo mundo consome ainda mais…Aí vira uma mini fabriquinha de coisas fake…Etc, etc, etc. Entenderam o recado?

Só isso.

=)

Você também pode ler

3 Comments

  1. Eita que tapão na cara!
    Não é porque um blog mostra dez produtos que eu tenho que adquirir os 10. Concordo com tudo que você falou, principalmente com a última parte: se não ta gostando, faça diferente!
    Ótima perspectiva!

  2. Adorei a discussão e a abordagem que deu a este tema que, realmente, já está um saco.

    Sempre me peguei perguntando isso. As pessoas estão sempre reclamando porque tem blog X e Y fazendo algo. Vá e faça diferente. O lindo do blog é isso, você conseguir levar o SEU conteúdo. O conteúdo que você sempre quis ler agora pode ser produzido por você. Não tem culhão pra fazer? Então não reclama de quem também não está fazendo. De quem está repetindo padrão e se dando bem.

    Sobre a opinião, você só acredita se quiser. Tem blogueiras fitness por aí fazendo publicidade de suco de caixinha e nem por isso eu vou acreditar que ela toma. Eu consumir a informação não quer dizer que eu vá acreditar nela. Se isso me incomodar a ponto de não querer mais, eu só paro de ler e vou ler quem eu acredito que está me passando verdade. A gente consome o que a gente quer.

  3. Caramba, nunca vi ninguém reclamando da blogosfera… Acho que estou em uma bolha. Mas é isso aí: a internet é um espaço (quase) livre. Você escreve o que gosta, o que não gosta. Acessa idem. Reclama do que já existe? Crie algo melhor ou simplesmente deixe de acessar. Há muitos livros, blogs, revistas, sites para todos os gostos. Com certeza UM irá te agradar, não é?

    Eu não acesso mais os blogs grandes porque sim, acho que ficaram todos muito iguais… Mas há infinitos outros que eu leio e adoro! 🙂 Liberdade é isso aí.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *