Por que você deve escrever um blog? (e ser feliz por não ganhar dinheiro com ele)

De uns tempos pra cá tenho recebido muitos textos. Muitos BONS textos. De gente de todo o lugar do país. Fico contente em ver tanta coisa bacana chegando na minha caixa de entrada e feliz, também, por pensar que talvez as pessoas acreditem que a minha opinião seja relevante em algum quesito. Além de vir por meio desse dizer que a minha opinião não vale absolutamente nada,  HE HE, gostaria de dizer que todas essas pessoas que desejam que seus textos sejam publicados em algum lugar, onde quer que seja, precisam, urgentemente, criar um blog.

Se você já tem o hábito de escrever constantemente, já sabe que essa é uma atitude terapêutica. Já sabe também que escrever te leva a pensar sobre outras coisas, te transporta para outras realidades, te faz sentir menos só. E ter um blog amplifica tudo isso. Você passa a ter sede por outros textos, conhece pessoas e abre uma imensidão de possibilidades quando cria uma porta entre a sua vida e a de pelo menos meio milhão de desconhecidos que acessam a interwebs todos os dias.

Eu não ganho um centavo com esse blog. Nunca ninguém teve interesse em patrocinar minhas palavras, porque, honestamente, elas não são rentáveis no sentido monetário da coisa (eu sei, essa frase ficou estranha). Elas são rentáveis no sentido emocional. E, em grande parte, unicamente para mim.

E se você acha que todo o blogueiro é popular e super conhecido, basta dar uma olhadinha aqui na barra de comentários para perceber que, não cara, tem gente que escreve simplesmente por escrever. Porque isso pode se tornar uma profissão surpreendente lá pra frente, ou pode não servir pra nada. Porque você vai estar se dedicando, despendendo um tempo danado pra deixar aquele seu espacinho atualizado, com a sua cara e… Talvez, ninguém leia.

Um blog te ensina que, na vida, é preciso aprender a lidar com as rejeições. Com os haters ou com o fato de que talvez, tudo o que você produz, só faça sentido para você. E não há nada de mal nisso.

Os blogs fazem parte de um nicho comercial, assim como muitos outros existentes dentro e fora da internet, mas não é apenas para ganhar dinheiro que um blog serve. Quantas coisas bacanas eu deixaria de descobrir se todo mundo que resolvesse ter uma humilde pagina www pensasse assim, não é? Quantos universos ficariam restritos a apenas a pessoa que os cria?

Se você escreve por prazer, tem um hobbie, ou algum talento, faça um blog. Crie um vlog. Inicie um fórum, uma página de Facebook. Mais importante do que aquilo que fazemos para os outros é o que fazemos por nós mesmos.

E já sabem. Com amor, tudo vale muito a pena.

=)

Você também pode ler

11 Comments

  1. No meu caso, cujo blog é plenamente com intuito de desabafar e trocar experiências, mas fala de moda, repostando meus textos, colunas e contribuições nas mídias por aí, então as pessoas esperam e cobram de nós um padrão. Eu vivo escrevendo sobre isto. No meu caso me pediam mídia kit antes de eu ter meus primeiros 10 mil acessos. Eu não sei lidar bem em me colocar preço, pq eu sou das suas: “tenho valor”, rs.

    Posso falar de qualquer coisa, mas escolho minhas pautas. E isso pq tenho a raiz nos blogs diários, despretenciosos, e tento manter essa essência, o que choca a sociedade das blogueiras perfeitas.

    Olha um exemplo: http://www.ixigirl.com.br/ixigirl-libertando-se-dos-estereotipos/

    Beijo

  2. Te entendo completamente, isso faz muito sentido! continue a escrever que esse é um incentivo para q eu continue também a escrever e “falar sozinha” hahaha beijo

  3. Gente! Que texto maravilhoso, parabéns pelo talento.
    Bom, eu blogo com o mesmo intuito que você, ou parecido. Meu blog é minha vida, meu diário, minhas paixões. Mesmo que ninguém nunca se interessa em fazer algum patrocínio acho que não desistiria dele, pelo simples fato de ter um lugar onde posso falar de tudo, e fazendo o que gosto.

  4. Meu blog há 7 anos é o meu refúgio, meu cantinho de desabafos e de compartilhar coisas que amo. Ter um blog é lindo e me faz muito bem, pois foi feito com amor e muito, muito carinho <3
    Adorei o seu texto Éricka! *-*

  5. Super concordo contigo, Ericka. Eu também escrevo em meu blog sem muitas pretensões, sabe… Até mesmo porque, se eu fosse ligar pra views e comentários já tinha desistido. É ótimo ter quem comente e até mesmo se identifique com você, mas na maioria das vezes, só o fato de ter postado, pra mim já valeu. Já fui de me achar meio rejeitado, já fui de achar quw devia ter o blog todo formulado pros outros, até que decidi postar o que eu quero e quando eu quero/preciso, e pronto. Estou feliz assim. E vou brincando de mudar layout quando dá na telha, peço desculpas a mim mesmo por abandonar o blig às vezes… E vou brincando. E enquanto ainda tiver esse pseudo liberdade de expressão, vou levando.

  6. Desde sempre me pego escrevendo em folhas aleatórias e coisas mais aleatórias ainda. Sempre fui muito comunicativa e, desde que me entendo por pessoa internauta, sempre tive blogs e flogs. Nenhum nunca “deu certo” de fato, mas hoje já não me vejo longe do meu cantinho. Não busco seguidores infinitos e desejo apenas comentários sinceros.

    O sucesso de um blog é pura consequencia da sua dedicação; podendo vir ou não. A gente nunca sabe o que nos espera no amanhã!

    Beijos

  7. Acho que só das pessoas que eu conheci através do blog (vc, a a Tay, a Ana Carô…) já me valia a experiência de ter tido o Minimundo. ^-^

  8. A única coisa da qual discordo é sobre a rentabilidade emocional das suas palavras ser unicamente sua, pois sempre são rentáveis para mim. <3
    Também blogo por blogar e ó: eu amo. Tanta coisa que aprendo, tanta gente linda que conheço, tanto bem que me faz. Esses dias mesmo estava comentando com uma amiga sobre a terapia que é ter um blog. Desde que criei o Subexplicado, melhorei demais o meu estresse, minha ansiedade… Blog é muito amor, desde que seja feito com e por amor também!

  9. Sou muito a favor de se fazer um blog, quando se quer escrever, mesmo que seja para ninguém. Houve um tempo em que eu tive muitos leitores, mas abandonei o blog durante um tempo e agora não tenho mais tantos. Mas isso não me deixa menos feliz em escrever. Porque não é isso que conta, não é ser famoso ou ganhar dinheiro ou brindes com o blog. É somente escrever. Só quem gosta de verdade entende isso. A sensação indescritível de se sentir completa apenas por botar para fora. Mesmo que ninguém leia.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *