sobre a intimidade forçada.

Não sei quanto a vocês, mas não tenho paciência pra gente insistente. Sério. Nunca tive.

Acho que forçar uma situação de amizade/intimidade extrema é sempre desagradável, não tem jeito. Para quem força, percebe que está sendo mala e não pára e pra quem precisa absorver toda essa “desenvoltura” alheia. Não existe coisa pior do que viver relacionamentos que não existem, ser simpático com pessoas que te tratam mal e, pior ainda, não dar uma bela cortada em alguém que te xaveca – e por quem você não tem o mínimo de interesse. Essa última, sem dúvida, é a pior das situações.

Não dá pra ser indelicado. Não dá pra ser arrogante pra depois ouvir o clássico “mas você entendeu errado, não queria nada com você”. OKAY. A verdade é que a gente sabe quando alguém está interessado na gente, sabe mesmo. E para os super xavecadores, fica a minha dica: se ainda não rolou uma reciprocidade da gatinha/gatinho, não vai rolar mais tarde. Parem por favor. É menos feio.

Mas como em terra de cego quem tem olho é caolho, e o ditado não tem nada a ver com o texto, mas eu quis utilizar, que atire a primeira pedra quem nunca deu uma forçadinha consciente seja lá em que situação for. Quem não ficou melhor amiga daquela vizinha chata por conveniência? Ou quem já não esteve lá, movendo montanhas, mundos e fundos por aquela sujeitinho que – bem no raso, e a gente já sabia –  nem tchum pra gente?

É, jovens. Tudo na vida tem dois lados. Às vezes somos os incomodados, às vezes somos àqueles que incomodam.

VAMOS ABRIR O OLHO, PESSOAL.

Se o cara não responde aquela mensagem, talvez ele não queira te encontrar.

Se as respostas, por sua vez, são evasivas, frias, se ele está sempre atrasado, sempre enrolado no trabalho, em outra cidade, sempre encontrando desculpas – semana após semana – para não tomar aquele choppinho, para não repetir o cinema, páre de insistir.

Quem quer, já cansei de falar, dá um jeito. Fica. Remarca. Arranja alguém pra ficar com os filhos, adia até o aniversário da própria mãe.

Sentiu, de leve, que está sendo enrolada? Recue. O mundo está cheio de gente disposta, interessante, interessada e que está afim de estar com a gente.

Chega de querer comer a azeitona salgada da empada seca. Engasga.

Você também pode ler

3 Comments

  1. Muito bom o post. Há mais de um ano tenho sido abordada por caras insistentes com quem não quero ficar, enquanto isso não sou correspondida pelos caras que eu boto uma fé. Nesse meio tempo, sou procurada por um ex de quem tenho muita dificuldade de me desligar. Muitas vezes tentei sair deste ciclo, mas quanto mais eu forço para que isso aconteça, mais difícil fica. Não sei bem mais o que fazer, mas tenho tentado desencanar um pouco disso tudo. Também comecei a ter esperança de que certas situações precisam ser extintas por si próprias no seu próprio tempo.

  2. Com certeza. Mais Deus nos mostra muita coisa. Uma hora agente tá de um lado, outra hora agente tá do outro. E mais cedo ou mais tarde descobre-se que aquilo que se despreza vale mais do que aquilo que se exalta.

  3. hahahaha, eu ri do post, mas odeeeeeio essa intimidade forçada. Infelizmente, conheço uma ou outra (ufa!) pessoa assim, mas sou fácil de cortar os inconvenientes.

    E já tive esse receio, de ter sido A CHATA. Já levei não de um carinha, provavelmnete (eu disse muito? haha) eu deveria estar insistindo além da conta… xD #vergonha

    Um beijo,
    Re

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *