domingo.

Que coisa chata é a companhia da gente. Nosso próprio tempero, nossos pensamentos, o som da nossa própria voz. Que coisa cansativa é não ter com quem compartilhar uma boa ideia, ser obrigada a guardar aquela frase incrível, de um livro mais sensacional ainda, para um outro dia, para nós mesmos, para coisíssima nenhuma.

Que perturbador é perceber-se sem ter o que fazer. Sem vontade nem de ver um filminho, de pijama o dia todo, contando os minutos para que um minuto se passe.

Que entediante é estar sozinho. Não solteiro, não sem namorado ou sem um grande amor, digo sozinho sem ninguém, sem contato humano, sem telefone celular, internet, sem a menor noção do que se passa lá fora.

Porque aqui dentro, sem dúvida, é puro tédio.

Que dureza é ter que ouvir nosso silêncio. Voltar-se para dentro sem poder fugir, sem ter ninguém para reclamar, chorar, comentar, sorrir. Que chatos somos nós mesmos quando precisamos nos encarar.

Que decepção é perceber que sabemos lidar com todo o tipo de gente.

Menos com quem a gente é.

Você também pode ler

2 Comments

  1. Impossível alguém nunca ter se sentido assim nem que por um minuto sequer… Na TPM então, nossa… rs

    Feliz 2014, Éricka!!
    Beijos,
    Thaís

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *