caso por acaso.

Acaso: sucesso imprevisto;eventualidade; (no pl. ) riscos, perigos.

– Se é pra se arrepender que seja pelo que a gente fez e não o contrário.
– Ah é! Não é bem assim…Matar alguém não tem volta…
– Eu não vou matar ninguém.
– É mas tem que pensar bem, porque algumas coisas não tem volta.
– E nem todas as oportunidades surgem duas vezes.

Estava pensando nos acasos da minha vida quando resolvi procurar essa definição que está no topo do texto. SUCESSO imprevisto? Adorei essa. Um acaso é uma fatalidade boa. Fatalidades são fatais, não soam mesmo muito boas.

Acasos servem pra trazer tempero à rotina, emoções, borboletas no estômago, palpitações, sensações de calor e formigamento por TODO o corpo. Caso essas sensações se concentrarem só do lado esquerdo pode ser infarto.

Aí é melhor procurar um especialista.

Acasos não tem tradução na linguagem popular porque não existem imprevistos positivos na popularidade. No máximo chegam perto das famosas “cagadas”. Mas fica muito pejorativo, aí não dá. Acasos são saudáveis e tem uma pontinha de loucura.

Invadem a nossa vida naquelas horas que o nosso superego está bem fraquinho e propenso a fazer…Olha só…As populares cagadas.

Positivas, mas cagadas.

Acasos são inesperadamente inesperados. Misturam tudo. Mexem tudo. Às vezes não mudam nada mesmo depois de toda a tormenta durante o processo.

São deliciosamente deliciosos na grande maioria das vezes. E assustadoramente incompreensíveis.

Sou do tipo que acredita que quando uma coisa tem que acontecer ela acontece. Mais cedo ou mais tarde. Não penso muito, não me arrependo muito, mas às vezes sofro muito. Não é o caso dessa vez.

Mas não há como se proteger, afinal. O acaso, quando você percebe que aconteceu, já acabou.

Você também pode ler

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *