Manual para o bom (mas nem sempre possível) viver.*

Não fale mal dos outros.

Se for inevitável, fale mal apenas em momentos de raiva e só para aqueles três amigos que você pode confiar. Ah, sim! Tenha três melhores amigos, todos diferentes entre si e todos maravilhosamente incríveis.

Acredite que ainda existem pessoas dispostas a se doar no mundo, mas não seja ingênuo. Entenda que sempre existirá alguém que irá te trair, te magoar, te passar a perna ou todas essas coisas de uma só vez. Não confie fácil, mas mantenha o coração aberto.

Não espalhe fofocas desnecessárias, principalmente as que envolverem pessoas que você ama. Cultive boas ações, ajude sempre o outro e faça isso de graça. Não espere reconhecimento e não busque méritos, mas faça sempre o seu melhor. Fale muito pouco sobre seus problemas, tente entendê-los longe da dor, porque ela faz todas as coisas parecerem insolucionáveis.

Beba suco, coma verduras e faça exercícios, não necessariamente tudo nessa mesma ordem e não necessariamente tudo isso de uma vez. Pelo menos uma vez por dia agradeça até mesmo pelas desgraças. Geralmente quando a gente acha que a vida tá uma merda, a gente fica mais na merda ainda, repare. Aliás, olhe ao seu redor. Reconheça que todo mundo merece uma segunda, uma terceira, infinitas chances pra recomeçar. Você nunca está tão certo quanto pensa e nem tão errado como imagina.

Quando houver discussões escute o coração. Não tenha orgulho se houver amor. Não tenha compaixão se houver desrespeito. Saiba que a vida só tem um caminho e que ele segue pra frente. O que você disse, já passou, o amor inesquecível, já foi, a viagem dos seus sonhos, só ficou na memória. Se possível, só lembre das coisas boas, das pessoas importantes e dos momentos felizes. Não se vingue de ninguém, e não queira mal seus inimigos.

Guarde cartas, fotos, livros, ursos de pelúcia, tudo que puder. Tenha história. Aceite que todas as situações que você passou existiram, que te fazem melhor do que você foi ontem e irão te fazer ainda melhor amanhã.

Não tenha pena dos outros, não tenha pena de si mesmo. Não seja vítima para ser alguém. Seja você, construa seu muro (permeável) de proteção e baste por si. Já disse que não é bom falar mal dos outros? É bom reforçar. Acabe com o mau humor, com a preguiça, com o egoísmo e com a inveja. Principalmente com a inveja, campeã absoluta de discórdia entre as mulheres.

Não compre tudo que tiver vontade, não coma tudo sem parar. Exageros, nunca são bons…Devo ser sincera. Ame. Sempre. A vida, as situações que se apresentam diante de você, as pessoas. Elas (boas ou más) são a chave de toda essa complexa rede de sentimentos que temos dentro de nós.

Realmente, é impossível ser feliz sozinho.

 

*Dos meus arquivos pessoais – mar.2008

Você também pode ler

2 Comments

  1. Um daqueles textos que a gente tem vontade de deixar do ladinho da cama, e usá-lo como manual de vida!
    Parabéns, amei!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *