Rei do pop gospel

Sou evangélica.

Num dos bate-papos depois da meia noite que frequentemente acontecem durante a semana na minha casa de São Paulo fiquei surpresa ao ser apresentada a um “padre pop”, lin-dis-si-mo e que canta bem pra caramba.

Reforço que sou evangélica. Esse padre deveria poder casar.

O padre Fábio de Mello é muito questionado. Com pinta de galã de novela da Globo e um olhar de matar solteiras por aí afirma manter sua castidade e pureza mesmo em meio as beatas frenéticas que fazem corinho de “LINDO” toda vez que inicia uma nova canção. E mais: batina no palco nem pensar! Fábio usa camisas da última moda, colares, anéis e cabelinho arrepiado (além de ser uma simpatia no palco. )

Se no lugar de “Jesus” colocarmos “Gabriela” algumas de suas canções viram verdadeiros hits românticos, e eu sinceramente o admiro profundamente por tentar ser diferente em meio à uma Igreja Católica às vezes tão atrasada em seus ideais…

A nossa discussão caseira se iniciou porque uma amiga está tendo um caso com um padre. Não revelo nomes. Talvez seja a hora da igreja católica repensar se ainda é prudente manter uma regra criada na idade média em tempos de pedofilia, homossexualismo e padres galãs everywhere.

Para saber mais:

http://www.fabiodemelo.com.br/

Para ver pra crer:

http://br.youtube.com/watch?v=aTtYuvkJ_6s&feature=related


Você também pode ler

4 Comments

  1. Eu discordo. Discordo, porque os valores da castidade vão muito além de tudo isso. É um sacrifício. Assim como não comer carne na Páscoa. Quem não está preparado simplesmente não é obrigado a ser padre ou a não comer carne. Simples assim.
    Sou contra pedofilia, sou contra o retrocesso, mas existem algumas questões que precisam ser compreendidas además [?] dos limites religiosos; são também sociais.
    Se um cara é pedófilo e é padre, o mundo o condena. Se um cara é pedófilo e é um cidadão do mundo, é logo esquecido.
    Enfim, bem gatinho esse padre mesmo e por esse motivo merece muito mais do que os parabéns. Ele está fazendo um sacrifício em nome de Deus. Um sacrifício que eu não conseguiria, porque talvez a minha fé não seja desse tamanho.

    Viva o novo blog, vou tentar acompanhar.
    Beijo!

  2. *clap clap clap*

    Começa hoje a campanha “Lettão no meu bloguinho”. Eu tb qro uma Lette-comentarista (dito no melhor esquema Barbie-dentista, Barbie-médica…) dxando comentarios frutíferos (?) no meu blog!

    Amo v6 duas um tantão… eh um saco naum tê-las mais ao meu lado no D1… =(

  3. Não sabia que você era evangélica! Coisas que descobrimos no último ano de faculdade, hahaha!

    Bem, eu não vejo motivos para um padre não poder casar. Padres são pessoas, são seres humanos também. Deixa eles terem uma família, não vai atrapalhar em nada no serviço deles para com Deus, Jesus ou qualquer seja a crença da criatura.

    Pegando carona no comentário da Lette, padres pedófilos chocam porque espera-se deles uma conduta superior, como se eles fossem representantes de algo divino na Terra e “só” esquecem que os padres são tão normais quanto eu e você.

    Essa hierarquia da Igreja me enoja. Assim como me enoja a hierarquia do STF e afins. Instituições corrompidas ou apenas seres humanos?

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *