homem Pinóquio.

Queridos homens,

Parem de proferir palavras vãs pura e simplesmente para nos agradar. Isso não se faz. Nós mulheres levamos as coisas muito a sério. Chega de brincar que estamos gordas ou descabeladas. Chega de falar dos nossos sapatos com desdém e de regular quanto gastamos em uma bolsa. Vocês compram coisas muito mais caras, uma vez a cada 3 anos, ok, mas não falamos absolutamente nada sobre isso.

Por favor, chega de ilusão. Não falem sobre família com apenas 1 semana de relacionamento. Não façam planos de casamento, filhos ou futuro. Nunca. Exceto quando realmente desejarem isso. Não nos elogiem se não for realmente sincero, não digam que somos exclusivas para, na semana seguinte, vocês resolverem voltar pra ex.

Não terminem relacionamentos por SMS, e-mail, Facebook, Gtalk ou qualquer outra ferramenta tecnológica, inclusive, telefone. Não ousem prometer aquilo que não tem intenção de cumprir. Aliás, melhor não prometer nada.

Não mintam, nunca. Mas também não sejam sinceros demais. Os homens tendem a ter uma sinceridade ofensiva, daquela que manda a gente não se apaixonar porque eles não prestam, sabe? Ou porque estão magoados com antigos relacionamentos e não se apegam mais ou por qualquer outro motivo ridículo que envolve covardia e uma tremenda falta de consideração. E se, de fato, as atitudes tomadas correspondessem ao discurso proferido, vocês não agiriam à favor do envolvimento. Não estimulariam os sentimentos  pra depois justificarem que somos “boas demais”, “legais demais” e tontas demais, também, só pode, pra ficarmos bem apegadas, bem cheias de afeto e sofrer 10 vezes mais quando vocês resolvem, do nada, nunca mais nos encontrar.

Sincero mesmo é aquele homem que nem começa  quando não tem a intenção de ficar.

Homens, parem de agir como meninos. Hora de crescer, de arranjar trabalho, de lavar as cuecas, tirar a louça da pia. É ridículo, em pleno século XXI, que vocês não cortem as próprias unhas e que não saibam escolher uma camisa sem a ajuda de suas mães. Nós, mulheres, somos exigidas o tempo inteiro, desde os 14. Pela beleza, pela inteligência, pela boa forma, elegância, por sermos boas de cama, mães exemplares e, ainda por cima, trabalhadoras equilibradas. É impossível.

Vocês, que não conseguem assistir TV e conversar, que se irritam com as multi-tarefas tem mais é que mudar a conduta e parar de ser tão exigentes. Se vocês encontrarem por aí uma mulher de verdade, chega de medinho, de desculpa esfarrapada e dessa coisa de fugir das responsabilidades: libertem-se, antes, dos galanteios e das mentirinhas de rotina para, quem sabe, exigirem alguma coisa.

E que eu nunca mais receba e-mails machistas e chorosos reclamando de solidão. Não combina.

Você também pode ler

3 Comments

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *