porque eu amo Marisa.

Que me conhece na vida real sabe: amo Marisa Monte. Não só pela música simples de melodia aconchegante, mas pela pessoa que ela é e pela simplicidade com a qual encara a vida. Não consegui perder nenhuma turnê desde o CD “Mais”: Marisa fala exatamente as coisas que eu penso. Fez parte do meu TCC, fez parte das minhas dores de corno e fez parte das minhas histórias românticas inventadas também. Não consigo não amar.

Quem conhece um pouco de música sabe também que a cantora detesta entrevistas. Detesta jornalista inconveniente com perguntas óbvias e quer ser reconhecida por aquilo que faz e não por aquilo que vive.  Não quer, não precisa e nunca teve a intenção de agradar os críticos, faz o que ama, porque ama e do modo que acha melhor. Não vê sentido em ter sua vida exposta por paparazzis ou em responder ad infinitum sobre casos amorosos, aquilo que come, veste ou coisas que não tenham relação direta com a sua música. Aliás, Marisa é música.  A maneira que vive é inteiramente refletida em suas canções, puras, calmas e cheias de duplas interpretações.

Encontrei em Marisa um exemplo sobre o que se deve esperar da vida, sobre o sucesso. Às vezes acreditamos que precisamos de holofotes, bens caríssimos e de estarmos sempre no centro das atenções para termos realização – como se nossa legitimação precisasse vir da boca do povo. Sucesso, para ela, não tem nada a ver com exposição e, muito menos, com o que falam sobre sua vida ou sobre o que produz. No mundo real, as pessoas demoram para perceber isso em suas próprias vidas não públicas querendo fazer bonito para burguês ver (mas não para si mesmas).

Nas palavras de Marisa: “Sucesso quer dizer concretização. Significa transformar idéias em realidade” e compara sua trajetória com o tecer de uma colcha que, se saiu do campo das idéias, já pode ser considerada bem sucedida. E  ainda completa: “O êxito não se mede pela aprovação alheia ou pelo reconhecimento financeiro”.

Não sei quanto a vocês, mas, para mim, fez efeito pensar um pouquinho como ela. E parar de me culpar tanto por não enxergar, palpavelmente, os resultados das minhas ações.

Foi feito? Então, já é sucesso.

A quem interessar possa minhas canções favoritas são: “Tema de Amor” , “Não é fácil” e  “Na Estrada”. Recomendo.

Você também pode ler

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *