aquilo que a gente suporta.

Quem ama de verdade se engana constantemente para não sofrer, embora nem sempre consiga.

Finge não se importar com as amizades femininas do outro e  ser suficientemente confiante para lidar com isso. Fala que não vê problemas em passeios que não permitem sua companhia, e só xinga os amigos dele bem baixinho, mentalmente, por querer dar ao outro aquela liberdade acompanhada que tantos buscam por aí.

Quem ama de verdade busca controlar os ânimos, ainda que vez ou outra exploda. Tenta não ser dramático, histérico, ou ter reações impensadas, exageradas e desnecessárias. Não grita por pouco e não se altera quando a ex-namorada resolve dar as caras e mandar mensagens de texto suspeitas. Em um relacionamento é preciso entender e aceitar que todo mundo tem passado, ainda que desejemos ignorar isso: se preocupar com os detalhes é apegar-se ainda mais ao que já foi.

Quem ama de verdade não fica caçando pelo em ovo. É honesto quando algo incomoda, mas tenta não entrar em crise. Coloca na cabeça que os outros podem até ser mais bonitos, inteligentes ou bem sucedidos, mas que não é por fatores eliminatórios que se escolhe amar alguém. Aliás, em alguns casos, quem dera fosse simples desamar pelas falhas; muito sofrimento seria poupado se ouvíssemos mais a razão quando ela grita.

Quem ama de verdade entende que é preciso ter respeito, consideração e que se um dia uma das partes resolver se desligar da outra precisa verbalizar aquilo que sente. Que todo o esforço valeu a pena e que sempre saímos de um relacionamento melhor que quando entramos. Que amor não se exige, se cultiva. E que não podemos obrigar o outro a ficar, embora seja terrível para quem é deixado.

Quem ama de verdade suporta. Porque assim como você tolera as falhas do outro as suas também são amenizadas. Porque para cada erro que vemos em alguém, outros 30 são vistos na gente.  E porque, via de regra, aprendemos mais sobre nós mesmos com outra pessoa do que somos capazes de enxergar.

Amar alguém não é gostar de tudo: é aceitar ser confrontado.

Você também pode ler

2 Comments

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *