Interpretações erradas.

Se o pior cego é aquele que não quer vê, o pior observador é aquele que vê muito além do que as coisas são.

Quando queremos muito que algo aconteça tendemos a supervalorizar as coisas; a ver pêlo em ovo, a encontrar razões que justifiquem um deslize, ou, até mesmo, a acreditar em duende, fada do dente e mandinga pra trazer o amor de volta. Para o bem ou para o mal, sabotamos a realidade e entramos em estado de negação: enxergando as coisas exatamente do modo como queremos que elas sejam. Quantas vezes você se confundiu com os sinais? Achou que era paixão, mas eram gases? Achou que o outro estava te mandando uma piscadinha sexy, mas era apenas um cisco no olho? Hein? Tente analisar. E quantas vezes você mesma deu uma desculpa qualquer que acabou mal (ou super) interpretada?

Não existem meias palavras quando gostamos de alguém. Nenhuma distância é longa o bastante, nenhum compromisso é importante o suficiente, etc, etc. Tudo aquilo que a gente já sabe e que no calor dos sentimentos tende a ignorar. Não seja o principal responsável pelos seus dramas. Se ele não te ligou, ele não quer conversar. Se não respondeu seu SMS, não foi porque ele não recebeu. Não culpe as circunstâncias, não justifique descasos, grosserias, não se deixe levar por promessas vãs. As coisas dentro de um relacionamento são aquilo que se apresenta, quem ama cuida, corre atrás, justifica, ajeita.

E não demora.

Você também pode ler

3 Comments

  1. ai pronto, vou ter que escrever sobre isso rsrsrs
    mas verdade viu, como é fácil se iludir…. a realidade é dolorida, mas liberta.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *