em oferta.

Foram anos de busca nos quais tentei todos os tipos possíveis: os altos e magros, os gordinhos baixinhos, os carecas barbudos, os cabeludos do metal, os poetas, os esportistas, os empresários, os skatistas, os budistas, os ateus, mas não encontrei ninguém disposto a pagar o preço justo dentro do prazo combinado, compatível à mercadoria.

Alguns investiam pesado nos jantares à luz de vela, outros tentavam flores, bombons, cartas apaixonadas, presentes fora de época e nada. Nada era equivalente ao que eu buscava. Talvez o preço cobrado fosse muito alto porque, afinal de contas, compartilhar a alma por um produto tão incerto, que não se sabe se vai ou não agradar quando estiver mais velho, enrugado ou com uns quilinhos a mais parece uma verdadeira loucura para os compradores mais racionais. E é.

Depois de muito procurar ao vivo e não encontrar um negociador à altura, decidi me render aos anuncios gratis  internet, práticos, rápidos, simples. Acho que não devemos pagar para divulgar mercadorias que não conseguimos mensurar quanto custam. Além disso, é possível vender tantas coisas menos valorosas online que achei que se ampliasse meu público alvo para o internacional encontraria o cliente ideal que, se oferecesse uma boa oferta, poderia levar de brinde uma família inteira pra chamar de sua.

Os relacionamentos são como mercadorias sem limite de preço. O tempo todo negociamos nosso passe, incluímos brindes, acessórios e, às vezes, nos oferecemos dentro deles como peças em desconto, porque cansamos de esperar um comprador que nos queira com todos os itens de fábrica, com os problemas, crises, encanações e defeitinhos na lataria. Na loja da vida é difícil encontrar alguém disposto a pagar o valor justo, mas antes de remarcarmos nossa identidade como itens que já saíram da moda é melhor se adaptar. E aguardar algumas estações passarem para nos colocar disponíveis no mercado novamente.

Este post é um publieditorial.

Você também pode ler

2 Comments

  1. Menina, por isso acho q amor não é pra mim!
    A gente vai vivendo e os tropeços da vida fazem a gente ficar mais exigente e menos tolerante, uma pena… Prefiro ficar na prateleira a ser comprada por alguém q não vai saber usar bem o produto!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *