sobre fé, religião e afrontamentos.

Fui criada em um lar evangélico e não me considero melhor que ninguém. É claro que isso guia várias posturas na minha vida e me faz questionar outras tantas, mas não sei se é a religião, a criação, o caráter ou a junção de um ou mais desses fatores que faz uma pessoa ser considerada “boa”.

Uma pessoa que acredita em Deus, não é perfeita. Assim como aquela que diz não acreditar em nada, não é ruim. Há praticantes de boas e más obras em todo o lugar, a religião não precisa ter conexão com fazer bem ao outro, mas as pessoas, via de regra, acabam confundindo fé com boas ações. Atitudes doutrinárias com conduta.

A igreja é feita por homens, é falha. Aliás, tudo aquilo que é instituído por pessoas tende a ter algum tipo de problema, de ordem ética, ou não. Como seres imperfeitos não há como gerarmos frutos perfeitos, você nem precisa ser muito estudioso de religiões para chegar a essa conclusão. Não casar virgem, não ter paciência com os idosos, ser egoísta ou invejoso não são atitudes características dos crentes, que não fazem aquilo que pregam, e sim, dos humanos. O que muda é como você encara essas coisas,se importa com elas ou se preocupa em alterá-las na sua vida.

Assim como fico aborrecida quando vejo crentes julgando não crentes, não gosto de quem levanta a bandeira contra a religião de alguém. As atitudes, apesar de terem relação com isso, não são simples de serem transformadas, estamos todos sujeitos a errar.

Pior que fazer algo que vá contra àquilo que você acredita, é julgar o outro por não ser o que você acha correto. Evangélicos, católicos, budistas ou espíritas: que tal pararmos de ser tão separatistas?

O gay não precisa ser ateu.

A prostituta pode ser católica.

O ladrão se arrepende, a freira se rebela.

Porque somos todos complicados demais para só a fé transformar alguma coisa. A razão também comanda.

Você também pode ler

3 Comments

  1. nossa, perfeito! você elucidou ideias sobre crença e fé de forma muito esclarecedora e simples. é bem isso mesmo, eu não explicaria melhor. quem dera todas as pessoas, religiosas ou não, tivessem esse tipo de discernimento. melhoraria 90% o mundo em que nós vivemos. beijo!

  2. Com concordo que existe muitos que julgam sem perceber, até para nós…isso acontece! Mas podemos aprender ao contrario, invés de julgam…ame uns aos outros.
    Afinal, a palavra que a prioridade que devemos é:
    amar a Deus e amar uns aos outros

    São esses dois principais e do resto temos que melhorar sempre, né?!
    bjs♥

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *