a síndrome dos bons tempos.

Temos  a tendência de achar que o tempo que passou é sempre melhor que o vivido agora, repara. Se não sempre, na maioria dos casos. Lembro dos meus 15 anos com tanta saudade que até dói. Mas daí, num lapso de memória, recordo daqueles simulados escolares insuportáveis, das festas que eu não podia ir porque era menor de idade, de que eu tinha hora pra dormir, acordar e chegar em casa e, o principal: que meus amigos não tinham carro (porque eu mesma continuo sem ter).

Daí penso que os 18 sim, esses eram de ouro. Foi quando entrei na faculdade, comecei a trabalhar, a ganhar meu próprio dinheiro… E a dormir bem menos às custas disso. Olha aí o ponto negativo. Foi também nessa época que percebi que nunca teremos o suficiente (e que isso nem sempre é rnegativo). Sempre vai faltar um tênis, uma viagem, um computador ou tempo para curtir tudo o que se conquistou.

Pensei nos 20, 21, 23 e cheguei a conclusão que nem aos 6 anos de idade a vida era tão fácil assim, nunca é. E se a gente lembra de tantos pontos positivos de épocas distintas é porque andou mesmo vivendo bem.

Melhor que lamentar é agradecer por tudo de positivo que se viveu. E que venham muitos anos pra continuar na saudade…

 

Você também pode ler

6 Comments

  1. Eu já sou o contrário, não gosto de lembrar das épocas passadas, claro que agora em coisas que me deixam maluca querendo voltar aos meus 6 anos, sem responsabilidade…mas há fases que eu prefiro nem recordar, agora é o momento (obrigada pelo comentário lindo no blog *-*)
    Beijos, Jeh Galvão
    Blog Horadamake

  2. Oinnn! Às vésperas do meu aniversário foi bacana ler isso pq é uma hir verdade! Que venham mais anos pra deixar saudades… rs Bjinho!

  3. Adoro lembrar dos meus tempos de menina, de barbie de amigas do colégio, dos namoradinhos…mas a sensação de que tenho muito mais pela frente é maravilhosa que venham mais 30 anos! bjão

  4. eu odiava meus 15 anos, me achava uma burra demente aos 20 … sou muito mais feliz e bem resolvida agora embora eu ainda me considere uma panaca

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *