um amor para recordar.

Procuro um amor tranquilo que não seja exigente. Que tenha o sabor constante da novidade e a leveza  característica das coisas do coração.

Esse amor deve ser atencioso e muito bem humorado. Tem que ter ciúmes, mas não entrar em crise. Deve aprender a não reclamar e a conversar – mesmo que isso incomode – quando alguma coisa estiver fora do lugar. Esse amor deve cultivar o prazer da conversa e deve me recordar constantemente do porque de eu o ter escolhido.

O amor que eu desejo deve ser sincero, bem disposto e livre. Falando assim, parece impossível, mas me recuso a acreditar que seja.

Deve existir por vontade mútua e não pela exigência do compromisso. Deve ser romântico, gostar de Fábio Jr. e Roupa Nova e saber apreciar uma boa música brasileira, mesmo as ruins – porque porcaria também é cultura.

Precisa ser altruísta ao mesmo tempo que egoísta, deve fazer feliz sem deixar de ser feliz. Saber ouvir e, mais que isso: o amor que eu espero pra mim deve saber ESCUTAR – e ter a mesma admiração por mim que eu certamente terei por ele.

Esse tal amor que eu busco não vai me corrigir, nem cobrar, nem tentar doutrinar; vai saber que é em cada em defeito que se encontram as razões da escolha.

Nao vai ser proibitivo, nem cansativo, nem nerótico. Vai ser firme, franco, direto e decidido.  Vai planejar as coisas ao meu lado porque tem vontade e não porque assim elas se estabeleceram.

Também espero que esse meu amor, perdido pelo mundo, seja tolerante e goste de beber.  Não que isso seja fundamental, mas é importante ter ao seu lado alguém que conheça seus próprios limites, que entenda dos excessos. Não pode ser muito de balada, mas precisa ter uma certa afinidade com a noite pra quando der vontade. Tudo no meio termo.

O amor de verdade da vida da gente precisa gostar de praia, de montanha, de selva, de bar, de ônibus lotado e metrô da Sé às 6 da tarde – desde que esteja ao nosso lado. Deve ser fã do Exalta tanto quanto do Metálica, sem ser muito xiita, sem ser muito combativo.

O amor de verdade acontece quando a gente aprende a viver contente em toda e qualquer adversidade. E aprende também a transformar-se antes que seja tarde demais.

Você também pode ler

18 Comments

  1. Amiga já tive muiiiiiiiitos namorados,alguns conheci em shows,outros em bares e baladas,mas o mais bonito e mais gostoso,foi o amor q dura até hj o do meu amigo e que hj é meu marido,então ó bora prestar atenção naquele bofe amigo seu q ta carente e não para de te dar atenção!!Bjksss

  2. que texto bonito, você que escreveu? 😉
    o segundo parágrafo é ótimo, adorei quando fala sobre ciúmes; acho importante numa relação aquele ciuminho gostoso, nunca exagerado.
    obrigada pelo comentário lá no Feufolândia.
    beijão :*

  3. Fui eu que escrevi sim, Fê! Todos do blog!!!
    Voltarei lá na Feufolândia, adorei! HAUHAUHAUHAUHAUHA…

    Um beijão!

  4. Manja aquela lágrima solitária??A mais triste de todas? entao ahahhaa =D

  5. Oi Ericka.

    Muito bom o seu texto. Realmente quando encontramos um amor assim é para ficar eternamente marcado na nossa vida!!!

    Gostaria muito de agradecer a sua visita e comentário no meu blog.
    Já estou seguindo aqui e ficaria muito feliz se vc me seguisse tbm!!!

    Super bjos
    http://www.i-likemovies.com/

  6. Quero um exatamente assim!
    No próximo texto vc escreve onde eles estão. Combinado?
    Bjus gata!!

  7. e de um amor assim quem eu estou procurando também, quando pensei que o tinha ele se foi, e mesmo esperando que volte, talvez não volte mais…

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *