amores mal resolvidos.

É certo que essa coisa de amor da vida da gente não existe. Sou daquelas que acredita que sempre o amor que estamos vivendo no presente deve ser o maior do mundo, o melhor. Até porque não existe coerência em viver uma situação que você sabe que pode ser superada, na qual você tem a total consciência que é capaz de amar mais. Pena que as coisas, nem sempre, funcionam assim.

Os encantamentos se dão por comparação. As mulheres, principalmente, tiveram aquele romance inesquecível em algum momento da vida, e se, ainda não tiveram, irão ter. Esse amor pode ter sido platônico, idealizado. O romance nunca chegou as vias de fato, mas a pessoa continua lá, viajando na idéia do quanto seria bom ter “fulano de tal” por perto, como parceiro, como essa pessoa seria ideal em sua vida. Se o amor se concretizou e foi traumático, então, pior. O mal resolvido dá possibilidades para “e ses” infinitos, sempre poderia ter um final diferente, emocionante, épico, sempre existirá o “poderia dar certo”. Sempre. Vindo de São Paulo para Santos nesse domingo, conversei muito com uma amiga sobre isso e cheguei a conclusão que não dá pra ficar sofrendo por aquilo que não tem a possibilidade de existir. Ou melhor, pode ser muito melhor do que o que imaginamos e com alguém diferente da que pensamos.

Somos fruto de uma série de expectativas e as pessoas não são iguais. Não dá para buscar eternamente uma pessoa em outra, aquele encantamento, ou frio na barriga não serão, jamais, os mesmos. Cada amor é diferente, mas não significa que não seja amor. Mudamos o tempo todo e assim também mudam nossas noções de vida, namoro, casamento, felicidade, tristeza… Enquanto olharmos para o passado (ou para um futuro que nunca existirá) com ares de sonho e perfeição vai ser difícil encontrarmos alguém que, de fato, desejemos estar perto. Ou nos esforçaremos para tal e nunca seremos felizes de fato. Não se pode cobrar de alguém algo que ela nem saiba como fazer. Algo que ela nem imagina o quanto te faz feliz.

E como fazer para o primeiro amor, platônico ou concretizado, ir embora? Simples. Permitindo-se viver novas situações e afastando-se, ao máximo, daquilo que relembra tudo que se viveu e gostaria de ter de volta ou aquilo que não se viveu, mas continuamos atados à possibilidade de acontecer.

É pra frente que se anda. Mesmo que doa demais caminhar sem olhar pra trás.

*****

Para ler também:

Esse BELO POST do Chicuta

e

o post bem humorado da Desaventurada!

 

Você também pode ler

16 Comments

  1. Ericka, acho que está passando uma nuvem de indagações sobre o amor por aqui, pois pensei exatamente coisas parecidas esses dias! Lindo post! Beijos

  2. Ótimo texto =)
    Penso que o melhor é viver o presente, amar a pessoa com quem estamos sem fazer comparações e sem nostalgia com o passado.
    Bjo

  3. Ai, gente, ser recomendada pelo Hipervitaminose é puro luxo.
    Adorei o post e sempre caio nesse erro de imaginar “e se tivesse dado certo com Fulano” ou “Ciclano seria o homem perfeito pra mim”, mas né?
    Não é assim e nunca será.
    Enquanto isso, me divirto com os errados que geram post no blog =)

  4. O Amor é algo tão bom de sentir! O bom é quando ele é correspondido, quando existe cumplicidade. E com certeza todo amor será único e o melhor do mundo. Acho que passamos nossa vida toda, conhecendo vários amores até finalmente encontrar aquele que nos pertence que sempre estava nos esperando para se concretizar!
    Um ótimo dia para você!
    Beijos
    Susie
    http://www.myfashionview.com

  5. ótimo texto! Concordo com tudo que escreveu! Permita-se amar e ser amada! Comparações só trarão tristeza, pq ninguem é igual a ninguem e o amor tbm não! Eu tento ao máximo viver o presente! sempre!

    Beijoss…

    mulheresmodernasprecisam.blogspot.com

  6. Não dá mesmo prá ficar sofrendo pelo que não se resolveu. E o que não tem remédio, remediado está! Veja meu caso: Conheço um paulistano há 14 anos. É um homem incrível, que tem minha admiração, meu tesão. Por mais que haja química entre a gente, uma série de fatores nos impedem de ficarmos juntos (inclui aí a bendida distância entre SP e ES). Então eu namoro, eu saio, eu fico, eu casei, descasei, procriei. Não paro de viver prá ficar curtindo dor de cotovelo. Se pudéssemos ficar juntos, olha, seria o casamento prá vida toda. Não da? Então tá, a gente se vê vez ou outra, se curte, e toca a vida. Meu coração conserva o carinho, e minha razão me mantém ligada no mundo e na vida!

  7. Oi Flor…ai amei demais, casa palavra é a mais pura verdade!
    A gente tem que andar pra frente meu povo sempre, E SE, não existe…
    Adorei o blog…estou amando ler tudo por aqui, volte sempre ao Maylicia é mais do que bem vinda.
    É claro que já estou seguindo e recomendando, é tão bom parar, ler e pensar né?! Parabéns lindo blog mesmo.

    http://www.maylicia.blogspot.com

    bjinhos

  8. Oi miga to de voltaaaaaaaa, e qd vamos nos encontrar todas novamente? Então como dizia meu avô,quem vive de pasasdo é museu,nem da pra amaragar amores passados a fila anda e o que importa é ser amada sempre,se ficou mals resolvido é pq ja era uma relação mal resolvida né gatan.
    Bj

  9. Oi, Erika! Quero mais posts, hehehe! Já estou com saudades 🙂
    Respondi no blog mas para garantir respondo aqui também: O esmalte é da Risqué – Azulcrination – Isabeli Fontana 🙂 Quanto eu calço?! heheeh, calço 36, heheheh.
    Um ótimo dia para ti!
    Beijos
    Susie
    http://www.myfashionview.com

  10. Li esse texto agora, depois de um ano.
    E novamente curti muito. O texto do meu amigo Chicuta tb.
    beijos querida!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *