quem nunca?

Sempre fui do time que expõem os sentimentos. Ou morro de amores, ou de dores.

Não consigo entender gente que sente uma raiva danada e fica lá, com cara de copinho, esperando ir embora a coisa ruim pra dar lugar à paz, à serenidade e à razão, com uma solução melhor para todas as coisas. Simplesmente, não dá. Tem horas que a gente precisa dar uns tapas na cara, pagar de louca xingando muito no twitter, essas coisas todas que depois a gente se envergonha. Mesmo sincericida, se teve uma coisa que aprendi nessa vida foi a buscar o equilíbrio, ao máximo. Ser extremista ou  impulsiva assim, não gerava os melhores resultados ao mesmo tempo deixar esse jeitinho pra lá não é tão fácil assim. Tenho tentado pensar antes de agir, antes de falar e, acima de tudo, deixar de comprar brigas que não são minhas; porque mulher tem dessas coisas, de ser inimiga da inimiga da amiga. Sério mesmo.

A justiça é relativa. Nunca tem um lado completamente errado ou certo por mais que a gente sempre tenha a tendência de colocar as coisas em caixinhas. Nunca existe a completa vagabunda ou a absolutamente santa. NUNCA. Há quem a gente simpatize mais ou menos, há a amiga mais antiga, o cara que a gente sabe que num presta, o caso perdido e aquela que a gente não defende nem se vier um anjo e disser amém; não tem jeito. Somos assim, imperfeitos, ninguém consegue ser cem por cento coisas boas, como manda o figurino e, dessa forma, não dá pra apontar o dedo na cara do mundo e dizer como o outro deve portar-se ou sentir-se em relação à situação xis, essas coisas acontecem e pronto, sem muitos porquês. Mágoas tem mais a ver com aquilo que esperamos que as pessoas sejam do que com aquilo que as pessoas, de fato, fizeram.

Pense nisso.

Se a gente fosse deixar de falar com todo mundo que já deu uma, duas, ou dez mancadas, já não teríamos mais amigo nenhum; perdoar em excesso é ruim, mas odiar meio mundo é pior.

Repense sempre e pondere muito antes de tocar o barraco. Eu garanto: não vale a pena.

Você também pode ler

10 Comments

  1. Concordo em partes! Adorei isso: “Mágoas tem mais a ver com aquilo que esperamos que as pessoas sejam do que com aquilo que as pessoas, de fato, fizeram. Pense nisso”, mas acho que amigo é amigo e fdp é fdp. Sem meias verdades ou meio termo. Todo mundo sabe ser amigo.
    E ponto final.

  2. Oi Ericka, tudo bem?
    Vim retribuir a visita ao meu blog e dizer que adorei o conteúdo do seu blog!!! Passarei sempre por aqui, e espero a sua visita sempre também!!!

    bjs

    Ana

  3. Ah, n vale mesmo, minha flor. Mas sabe, tenho a impressão que a gente só começa a ter essa forma madura de pensar depois que qubramos mto a cara. As vezes amigos nos aconselham, mas na hora da pratica a gente faz tdo diferente. As experiencias nos ensinam bastante e nos tornam pessoas melhores. Chega um estágio da vida que a gente precisa mesmo engolir certos sapos e saber a hora certa de falar e de calar. Amei o post (como sempre).

    Beijos e te espero lá no blog 😉

    http://www.nicellealmeida.blogspot.com

  4. Falou bem! Acho que temos que ficar “neutros” em relação a certas pessoas. Acredito em mudanças, mas algumas pessoas nunca mudam e não vale a pena nos estressarmos por isso.
    Bjo

  5. Eu não consigo guardar mágoas, exatamente por não ser perfeita,errar e magoar também, quem garante que não faço isso? Indisposições com alguém sempre acontecerão, é fato, o jeito é deixar seguir o enterro, que tudo se encaixa novamente.Prefiro reduzir meu contato com quem me magoou, mas nunca sou indiferente, isso aprendi na infância.
    Um beijão querida Ericka.

  6. Oi, Ericka! Tudo bem??
    Sou bastaaante controlada quanto situações embaraçosas, maaaas, como boa humana, ocasionalmente explodo. Odeeeeeio descer de meus indispensáveis saltos, entretanto há situações que nos obrigam para que não enlouqueçamos… Concordo que mágoa é péssimo, porém, infelizmente, alguns atos e algumas pessoas são imperdoáveis… Até porque, tal como na canção do The Corrs, “you’re forgiven, not forgotten…”
    Beeeijos,
    Thaís

  7. Tem que ter equilíbrio, não tem jeito. Não adianta odiar todo mundo, mas também não dá pra aceitar tudo de boa. Eu sempre fui muito boazinha a minha vida toda e me dei mal muitas vezes. Mas sei que também não dá pra fazer a malvada e fazer tudo o que temos vontade em momentos de raiva…
    Bjs

  8. Sou que nem você guria, aos extremos, ou morro de amores ou de dores, claro que preferindo morrer de amores, mas nem todo mundo merece.
    Sou muito controlada, mas quando sinto eu sinto e muito.. e quanto a eprdoar, sempre fica um certo rancor, mas tudo que queremos na vida, conseguimos, certo!

    beijos!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *