sabedoria de vô.

 

Depois dos 80, não se sorri mais em foto.

Não só meu avó, os velhinhos todos, de uma forma geral. Costumo falar dos relacionamentos jovens, das pessoas que precisam aprender coisas diariamente para viver melhor, das amantes, dos namorados, de gente que ainda tem toda uma história para construir. Quem já tem lá seus 80 e poucos num tem mais esse tipo de preocupação na vida, aliás, a única preocupação que se passa na cabeça de quem já muito viveu é a hora que vai morrer. Triste, mas real. Acho que os desejos, com o passar dos anos, vão perdendo o por que. Ou melhor, parece que não existem mais com tanta força dentro da gente.

Meu vô  já teve um bom emprego e um grande amor. Comprou apartamento, carro, deu uma boa faculdade para minha mãe. Teve netos, bisnetos, irritou-se muitas vezes com cada um deles, foi contra as regras e os agradou também, outras tantas vezes. Perdeu pessoas das quais se importava em progressão geométrica. Não uma ou duas vezes, como as pessoas ocasionalemente perdem, umas 30, de uma vez. Depois começaram os problemas de saúde, o andar já não era mais o mesmo, nem a respiração, a pressão, os cabelos… Sem falar das rugas. A cabeça, porém, sempre avança. Enquanto o corpo vai padecendo a compreensão do mundo vai aumentando, agora que ele precisa, não quer tanto a ajuda dos outros. Nem um carro importado, nem status social…Quer saúde e atenção, coisas difíceis de se ter. Fica saudosista, sente falta de quem partiu sabendo que não terá todas essas coisas de volta porque não existe volta pros que já foram. Repete, inúmeras vezes, como nós, jovens, somos imprudentes e ansiosos. Como devemos aguardar para que as coisas aconteçam, que pra quem não estuda as coisas não são fáceis como eram no tempo dele e que pra quem estuda, também nunca foram e agora estão piores. Que a vida não é uma sucessão de coisas boas o tempo todo, mas de boas pessoas, que a gente acumula e perde. E deve estar o tempo todo pronto para perder; para morrer, basta estar vivo.

Fico pensando em como tudo passa rápido demais. Será que conseguimos viver, de fato, tudo aquilo que queremos viver? Começo a crer que não há tempo para tudo isso. E que é melhor aproveitar, com força, tudo aquilo que se tem.

Você também pode ler

19 Comments

  1. Eu sempre acho que a gente nunca vai conseguir viver tudo que queremos.
    Mas isso na fase negativa da vida, né!

    Sempre acho que a gente se importa demais com os outros do que com a gente, do que com o que queremos fazer e ser ..

    A gente sempre fica ‘achando’ ..

    =**

  2. Adorei esse post, querida. É realmente uma lição de vida.
    Muito bom pra gente não dar tanta importancia pra coisinhas bestas.
    Melhor ainda pra aprendermos de uma vez por toda que a felicidade plena e absoluta não existe. Temos que apreciar os drops de felicidade que recebemos e aceitar que é assim, que nada é eterno.

  3. Nossa,isso me lembrou dos meus avós.
    Como sempre,resumindo mt bem td uma idéia no parágrafo final.

    Concordo com td,td msm.
    ;**

  4. OLHA, não da pra viver tudo. não só pela quantidade de coisas que desejamos fazer, que já forma uma grande lista. o que me entristece mais que excita é reconhecer que várias das escolhas excluem outras opções. agora mesmo, o rio tá um CAOS com a chuva e eu PRECISO assistir aula. minha vontade de ficar em casa é absoluta, mesmo sabendo da matéria importante que me aguarda. me afogar na rua e assistir a aula OU ficar em casa linda e perder materia. numa proporção mais e com consequencias mais graves, isso se repete durante toda a vida e eu só tenho vontade de gritar. mas a gente escolhe, abre mão, com esperança de ter escolhido o melhor caminho e ficar satisfeito, seja imediatamente ou na velhice. agora com licença, vou encarar a chuva

  5. É a mais pura verdade, Ericka! Seu vô muito sábio e muito lindo, parece mais jovem!!!
    E como dizia, não dá tempo para viver tudo, infelizmente… a vida é tão cheia de possibilidades e escolhendo a gente se priva. Cada escolha, uma renúncia…
    Mas vamos viver!Até quando der! (Pior são as perdas… ai, medo!)
    Bjs!

  6. Nossa, adorei o post! Pensei na minha avo o tempo todo que estava lendo, triste pensar que vivem cada dia esperando a morte.

  7. Vc tem toda razão, minha flor. Devemos nos deixar ser movidos pelos nossos sonhos agora, enquanto temos garra para lutar por cada desejo que o nosso coração tem. O tempo passa e se n sairmos do lugar, o que nos restará é contemplar as rugas em nosso rosto e se lamentar do que poderíamos fazer e n fizemos. Muita coisa n acontece por culpa nossa…eu sempre procuro lembrar disso!

    Beijos, minha flor.
    Espero que vc tenha passado uma páscoa maravilhosa!

    Te espero lá no blog 😉

    http://www.nicellealmeida.blogspot.com

  8. Meu pai com seus 80 anos,ás vezes observa mais do que fala…e fico pensando muitas vezes o que se passa na cabeça dele.Quando fala, na maioria das vezes é prá brincar, falar coisas que não tem nada a ver,enfim nada de sério, fala com o peixe, a calopsita, o cachorro…fica buzinando no ouvido o horário prá coisas, o café, a comida… eu falo pai tem que fazer uma atividade física, o corpo é uma máquina, tem que exercitar e ele diz no verão e assim vão passando os verões. Tudo passa rápido demais, é preciso viver da melhor maneira possível e se aproveitar tudo o que se tem aqui e agora, o que chama-se a transitoriedade da vida, já que a morte é o último recurso para os sofrimentos dessa vida!!!

  9. Ai, vivo pensando nisso. Fico olhando as pessoas mais velhas na rua e imaginando se elas fizeram tudo o que queriam fazer na vida, se são felizes…meio viagem total, né? hahaha
    A vida passa rápido e parece que sempre vamos ficar com a sensação de que poderíamos ter feito mais…
    Bjs

  10. Tudo tudo mesmo não dá…acho que não vou conseguir se atriz, cantora, jornalista, professora, assessora, astronauta, mãe de seis filhos, pegar o Brad Pitt (uma vezinha só tava bom!) e ser feliz em cada segundo dessa vida.
    Mas se eu conseguir ser feliz na maior parte do tempo, cercada das pessoas que eu amo (e aumentando sempre essa lista!), com um emprego bacana, um ou dois filhos e mais alguns amores até lá…..tá ótimo!
    E como disse o seu avô, e acredito que o de todos aqui, isso é ansiedade de nós jovens, né não?

  11. Belas palavras =)
    Precisamos parar, pensar no que realmente queremos e desejamos e… colocar em prática! Viver!
    Bjo

  12. Tenho a impressão que os mais velhos já viveram e viram tudo o que havia para viver e ver.Eles ficam enfastiados da vida.
    Eu com 34 anos as vezes me enfastio,imagino que com eles seja bem pior a coisa.

  13. Ai guria, é verdade, a gente tem tanto para viver e parece que é tão pouco tempo, ando com vários dilemas acumulados, acho que preciso de uns conselhos seus!!!

    beijos!

  14. eh mt legal como a gente pode aprender com os mais velhos! minha avo tb me ensinou mt com a experiencia de vida dela!
    bjs

  15. As vezes fico em dúvida se devo ser cautelosa e esperar as coisas ou se devo fazer as coisas sem pensar em quanto ainda sou jovem , isso é meio triste, sempre fico mal pensando em como pode ser não ter vontade de fazer mais nada quando eu estiver velhinha 🙁
    Mas achei muito legal o texto, lindo!
    Beijos
    Horadamake.blogspot.com

  16. Olha o Seu Antonio ai!!! Realmente Elka, os mais velhos ensinam bastante, e como a gente diz lá em casa, seu avo ta muito bem pra idade!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *