carnaval.


Carnaval, pra muitos, é tempo de libertação. De sair da rotina, beber todas, de fazer tudo em excesso. Eu, particularmente, detesto Carnaval, começando pelos sambas-enredo que me irritam em grau maior e me extendendo à sujeira nas ruas, o trânsito que fica cem vezes pior e mais uma série de outras coisas que eu tenho uma certa preguiça de enumerar. A questão é que não importa o que eu pense sobre Carnaval: feriado é feriado e o povo quer aproveitar. Se você começou a namorar recentemente e ainda não percebeu que a data provoca, via de regra, conflitos em excesso, fique sabendo agora. Para quem sempre fez parte da folia, é difícil aceitar ir ao cinema pra ver um filminho ou deixar de ir pra Salvador com a molecada pra viajar pra Poços de Caldas com os seus pais. É complicado não fazer algo que possa parecer mais animado para ficar em casa, fazendo nada. Como todo mundo no nosso país fica meio frenético, a coisa contagia. Você odeia confete, acha usar fantasia um negócio ridículo, mas entra no clima. No clima de guerra.

Se pra mulherada parece altamente automático deixar a “vida loka” e virar moça direita, pros homens que eu conheço não é bem assim. É claro que em alguns casais a coisa é invertida, tem cara que aceita bem sussegar enquanto a namorada, cheia de amiga solteira, tá doidinha pra saracutiar por aí. Tem como não discutir pra curtir junto? Pra mim, tem. Mas reparei que anda complicado pra maior parte dos casais abrir mão de algo que era habitual e prazeiroso na solteirice para tentar algo novo com alguém. Aliás, essa é a justificativa de quem não namora, abrir mão da própria liberdade para “agradar” o outro. Isso não existe. Se você namora e se sacrifica, perde de si, não é saudável. A verdade é que quando você gosta de alguém tudo torna-se mais prazeiroso com essa pessoa, o namorado vira a sua primeira companhia. Não é pra deixar de sair, deixar de ter os seus momentos sozinho. É pra saber que há alguém a mais que está ali, disponível para estar com você. Como diria o meu querido Carpinejar, “Liberdade na vida é ter um amor para se prender”. Se você namora e não entende isso, se você namora e não sente isso, se o seu problema é estar sufocado, aborrecido, obrigado em fazer isso ou aquilo, algo está errado. Não dá pra viver em função do outro.

Namorar é, acima de tudo, poder ser você mesmo (e ser querido ainda assim).

Você também pode ler

17 Comments

  1. Nunca gostei de carnaval…gosto do feriado…mas nao da festa que pra mim da forma que acontece eh um desperdicio de dinheiro.

  2. “Se você namora e não entende isso, se você namora e não sente isso, se o seu problema é estar sufocado, aborrecido, obrigado em fazer isso ou aquilo, algo está errado. Não dá pra viver em função do outro.
    Namorar é, acima de tudo, poder ser você mesmo (e ser querido ainda assim)”

    ainda bem q tem gente q entende isso =) senão o mundo estaria perdido…mas enfim, tb odeio carnaval!!O melhor de tudo é o feriado =D

    bjussssssssssss

  3. Eu gosto é do feriado! Quando viajei no carnaval foi sempre pra fugir da folia.
    E não é que você usou uma imagem que eu salvei pra um layout na semana passada! Hahaha…
    =*** Ericka!
    See ya!

  4. ODEEEEIO carnaval! Escolas de samba, gente bebada, mulher pelada…coisa detestável.

  5. Os dias de folga com a família são bons!a minha visão de Carnaval perdeu-se no tempo,na menicice era folia,fantasias típicas,cabelos dourados, prateados, lança perfume, martelinho,reco-reco,bisnaga com água etc. Os corsos na praia onde a gente ia com a família, as brincadeiras nos clubes a tarde, sempre acomnpanhados dos familiares…

  6. Hmm.. gostei!
    Lembrou o meu carnaval! ahuahua

    Mtas vezes os rumos da vida são definidos no carnaval!!
    Pelo menos o rumo amoroso! ahuuha

    bjo Él!

  7. HUAHUAHUAHUAHUAH… Nada contra!!! Aliás, vou sempre! Mas creio que por lá num role um carnaval super animado! Tô enganada??

    Um bjão!

  8. Complexo isso. O negócio é saber bem o que deseja. Se não é bem aquilo que quer, melhor curtir e tal.

  9. Arrasou no post! Esse foi o primeiro carnaval que eu saí realmente para fazer algo (desfilar). Os outros foram fugindo da cidade. E confesso que senti falta disso. É muita muvuca pro meu gosto! É de enlouquecer qq um!

    bjinhos flor

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *